quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Circuito Vale Europeu

Mais uma cicloviagem neste ano. Dessa vez circuito Vale Europeu em Santa Catarina. Dizem que é dos primeiros circuitos oficialmente implementado no país. Veremos se vale à pena...

Dados gerais:

Distância Total: 526 km
GPS utilizado: Navegantes-Blumenau
Blumenau-Pomerode
Circuito Vale Europeu

Obs1: Oficialmente o Circuito começa e termina em Timbó, mas comecei em Pomerode, pois me pareceu ser um caminho mais fácil desde Blumenau.

Obs2: Curioso que todo mundo perguntava se eu estava fazendo o caminho sozinho e faziam cara de espanto. Foi tudo super tranquilo e com a companhia do todo poderoso, aquele que é o caminho e a verdade, o Guia Para a Salvação, o GPS. Mas no caso do Circuito quase não é necessário, pois  a rota costuma ser muito bem sinalizada.

Dia 01- Embarque de avião para Santa Catarina. 

Logo em Confins o primeiro problema. Apesar de por telefone, na loja, na Internet e entre conhecidos, todos terem me dito que bastava  colocar um plástico por cima da bike montada, um atendente exigiu que empacotasse no mala bike...

Então, desmontei, enrolei as peças em plástico bolha e ainda mandei passar aqueles protect bag. Olhem o resultado:


Mas o engraçado foi que no guichê, durante o check-in, a moça disse que não precisava nada daquilo...

Dia 2: Navegantes - Pomerode 

Distância: 86 km em asfalto
Tempo: Por volta de 7 horas
Clima: Maior parte do tempo nublado

Pedalar em Navegantes é maravilhoso. Muita ciclovia, tudo plano e muitas bikes pela cidade. 

Até Itajaí foi só alegria, com direito a Ferry boat.

Depois tem um trecho meio chato de BR, uns 2 km, quando volta a ser uma estadual, a SC-412, Jorge Lacerda.  Muitos carros, mas com bom acostamento.

De Navegantes a Blumenau é 100% plano, bem fácil!

Já de Blumenau a Pomerode existem trechos com ciclofaixas, como esta ao lado.

Mas também uma tal rua Bahia, ainda em Blumenau, sem acostamento e muito movimentada, o que exige atenção redobrada. 

Depois, já mais perto de Pomerode, a rodovia é movimentada, mas com acostamento.

Pomerode é super bacana. Me disseram que é a cidade mais alemã do Brasil. Arquitetura européia, muitas bikes pela cidade, escurece 20:30, nem parece que estou no Brasil...Olha aí ao lado um bicicletário bem cheio.









Interessante notar que existem muitas placas para ciclistas, semáforos, rebaixamentos nas calçadas (também para deficientes) e campanhas.


Dia 03: Pomerode - Indaial - Rodeio

Distância: 74 km
Tempo: 7:30 h
Clima: Manhã nublada e com garoa, tarde chuvosa.
Estada: Café Stolf

Este trecho está como para ser feito em dois dias, mas é super fácil de fazer em um.

De Pomerode a Indaial o contato com a natureza é intenso e também observam-se casinhas bonitas em estilo europeu.



De Indaial a Rodeio incomoda os trechos em que as ruas são de paralelepípedo. A chuvinha permitiu estrear a capa de chuva...

 Igreja em Acurrai

Dia 04 - Rodeio - Dr. pedrinho

Distância: 64 km
Tempo: 7:30h
Clima: Garoa ou chuva fina o dia todo
Estada: Pousada Bella

Essa parte é só para os fortes. Totalmente insano. De toda forma, foi a parte com melhor visual. Contato com a natureza espetacular.

Como sabia da super subida, tomei a acertada decisão de pedalar sem capa de chuva. A capa faria eu suar mais e ficaria molhado do mesmo jeito. Com o corpo quente não senti muito o frio e nem me incomodei com a chuva.

Mas antes de começar a subir, visitei essa cascata. Local bonito, mas totalmente abandonado...
São 8 km de subida ininterrupta, com ascensão de quase 900 metros. Mas no caminho há muitas belezas, como a propriedade de um senhor que fez um magnífico jardim e o rodeou com 64 anjos...

Terminada a subida dos guerreiros, existe a opção de visitar a cachoeira do Zinco. Contudo, ela está fora do trajeto e são mais 14 km, contando a ida e a volta, sem falar que lá chegando tem-se uma subida super inclinada por uns 2 km.

Bom, já diz o ditado q quem está na chuva é para se molhar. E eu literalmente estava na chuva...

O problema  é que a alguns km da cachoeira, havia uma cancela trancada e o aviso de propriedade particular, com visitas aos sábados e domingos e a critério do proprietário. Para minha sorte era sábado...Mas e a cancela trancada? Seria para carros? Preferi considerar que o português não estava claro e me dar o benefício da dúvida, pulei a cancela e carreguei a bike por cima. Ao fim, valeu o sacrifício...


video
Depois ainda tem muito chão e mais paisagens bonitas.



Vista da Bella Pousada

Dia 05: Dr. Pedrinho- Altos Cedros

Distância: 34 km
Tempo: 3:45h
Clima: Nublado
Estada: Família Duwe

Hoje foi o trecho mais curto do trajeto. Existem duas opções de caminhos e como em um deles a estrada estava em reforma, acabei escolhendo o da gruta santo antônio.

As únicas dificuldades são duas subidas respeitáveis e o barro na estrada, apesar de não ter chovido durante o pedal.

Bom contato com a natureza, apesar de certo desmatamentos e eucaliptos. Seguem fotos:




O ponto alto é chegando em Rio dos Cedros, cidade estilo escarpas do Lago, onde muitas casas são construídas em torno do Rio.


Para entrar no clima, hospedei-me em uma pousada com acesso à barquinho.


video

E este é o visual do alto da pousada


Dia 06: Altos Cedros- Palmeiras-Rio dos Cedros

Distância: 85 km (10 fora do caminho)
Clima: Sol
Estada: Restaurante e Churrascaria Recanto

A idéia era matar 2 trechos em um dia. Para isso, madruguei e sai 7:30h. E fui recompensado com essa bela paisagem.



Foi o primeiro dia de céu aberto e muito sol. Porém,  a chuva forte do dia anterior me deixou 15 km de subidas com barro e lama o tempo inteiro. Resultado:

Essa surpresinha de São Pedro me traria mais problemas à frente. Mas naquele momento, tentei tirar o que deu com a mão e com água de um lago...

Bora Pedalar! Após 30 km, conheci a cachoeira Formosa, que foi para o primeiro lugar das maravilhas da viagem, pois além de bonita, permite o acesso pertinho!

Mais perto!!
Maaais e dentro da água
Ô loco. Sai daí maluco!!!
Versão Kamikase
video
E essa cachoeira me tirou uma hora...

Até pensei em ficar no distrito de Palmeiras para aproveitar mais, contudo, dizem que às segundas a cidade não funciona e eu não havia feito reservas.

Em Palmeiras consegui lanchar. Sai por volta de 14h e ainda faltavam 56km, mas em sua maioria de descidas.


A bike estava fazendo muito barulho e entendi que ela pedia um banho para tirar o resto de barro, o que foi atendido prontamente.
















Ainda, pedalei alguns quilômetros na presença desse imponente rio...

Contudo. Ao chegar no pé da última piramidal do Circuito, a corrente da bike rompeu. Tive que retornar para a cidade mais próxima, que por sorte, foram "apenas" 10km de empurrão ou estilo skate na bike. Dormi por lá em um Hotel quebra galho.

Dia 07: Rio dos Cedros- Timbó

Distância: 38 km
Clima: Nublado
Estada: Timbó Park

De manhã cedo, hora de ir para a única oficina de bike da cidade. O gente boa arrumou a corrente e os rolamentos dianteiro que estavam ranjendo devido ao banho tomado... A bike ficou fina e me cobrou só R$ 10.

Voltando ao ponto de onde a corrente arrebentou tem-se a subida mais inclinada do percurso (não a mais longa). Mais uma de matar, principalmente porque preso em nunca empurrar a bike e preferencialmente não botar o pé no chão.

Vencido o desafio da última pirambeira, o resto do caminho é reta ou descida.

Cheguei em Timbó na hora do almoço, com essa bela paisagem de recepção e a placa de final (o que não era o meu caso...)








Minha intenção era continuar até Pomerode, percorrendo mais 50 km, mas promessa de chuva forte e ⚡,  tão logo eu saía da cidade, me fizeram mudar de ideia e ficar em Timbó.

Dia 08: Timbó- Pomerode- Blumenau

Distância: 85km
Clima: Chuva fina
Estada: Hotel Mansiones

Oficialmente Timbó -Pomerode é o primeiro trecho do Circuito, mas no meu caso foi o último. Os primeiros 25 km são moleza e achei que assim seria todo o percurso, porém, logo veio outra subida considerável...

Caminho com bom contato com a natureza. Já chegando em Pomerode, destaca-se a rota do enxaimel, um estilo de construção alemã do fim do século XIX.



Desta vez, de Pomerode à Blumenau segui pelo caminho de estrada de terra, o que foi muito bom. São 20 km bem tranquilos e chega pertinho de Blumenau.

Já em Blumenau, mais uma vez destaque negativo para a Rua Bahia, que parece ser o único acesso para a cidade e é insuportável de pedalar.

Por coincidência, encontrei um cicloativista que me informou que ciclovias são mesmo complicadas na cidade, que a prefeitura só se preocupa com a Oktoberfest. A curiosidade relatada é que ele e um grupo de ciclistas foram os idealizadores do Circuito do Vale Europeu, onde Blumenau deveria fazer parte. Contudo, exatamente por não ter acessos adequados, acabou ficando de fora do Circuito.

Dia 09: Blumenau- Navegantes 

Distância: 60km
Clima: Sol

Como dito no início, este é um trecho relativamente tranquilo. Todo mundo se assustava quando dizia que vim pedalando desde Navegantes, mas geralmente pensavam que tinha pegado a SC-470. O caminho pela estadual Jorge Lacerda tem fluxo de carro médio, mas com acostamento largo e sem muito caminhões. Apenas tomar mais cuidados na chegada à BR 101.

No mais, fica a comemoração de mais uma cicloviagem finalizada. Valeu à pena!


FIM








3 comentários:

  1. Que legal esse circuito, e que fotos bacanas!!!!

    ResponderExcluir
  2. Que cachoeira espetacular!!!! Também quero ir!!!!

    ResponderExcluir